Trituradores

[CONTEÚDO AVANÇADO] A importância dos trituradores de alimentos para o meio ambiente

conteudo-avancado-a-importancia-dos-trituradores-de-alimentos-para-o-meio-ambiente.jpeg
Escrito por Tritury

Em contrapartida ao que muitos pensam, os trituradores de alimento são opções sustentáveis para compor cozinhas caseiras e industriais. Países, como Itália, Suécia e Japão, chegam a oferecer incentivos financeiros para quem instalar os trituradores.

São mais do que ferramentas práticas e seguras, se tornando, também, aliados no combate ao descarte inadequado e na redução da poluição gerada pelo lixo, provando que uma cozinha pode ser sustentável.

Pensando em todas as dúvidas que envolvem o assunto, fizemos esse post para desmistificar alguns pontos e justificar a importância dos trituradores para o meio ambiente. Ficou curioso? Continue a leitura para saber mais!

Como funciona um triturador de alimentos?

Para entender como o triturador pode ser um aliado da sociedade, precisamos primeiro saber como funciona e o que gera, não é mesmo? Bom, o triturador é como qualquer outro eletrodoméstico e tem como finalidade triturar matérias orgânicas, produzidas diariamente.

Resumidamente, o triturador é acoplado ao interior da pia, substituindo o sifão, logo todo o material depositado no ralo da pia será fragmentado, apenas quando o dispositivo é acionado — por meio de um interruptor próximo à pia —, e com água corrente.

O triturador de resíduos é composto por um sistema de trituração variado, a linha Tritury, por exemplo, possui um disco e anel de corte em aço inoxidável, outros modelos podem apresentar sistemas com facas e marteletes.

Tudo o que passar pelo sistema seguirá o caminho usual em direção ao encanamento e ao esgoto, consequentemente.

O material que pode ser triturado é basicamente toda matéria orgânica, incluindo cascas, ossos de frango e restos de alimentos. A única limitação do sistema é em relação a restos fibrosos, gordurosos, muito grandes e duros.

Quais são os resultados para o meio ambiente?

A matéria líquida é composta por fragmentos particulados de 1 mm de espessura, em que 80% é água e apenas 20% é resíduo. Portanto, o que chega ao esgoto é de fácil tratamento e não gera os impactos ocasionados por outras formas de descarte. Confira a seguir outros benefícios do processo:

1. O descarte mais adequado de matérias orgânicas

Segundo os dados mais recentes da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), cada brasileiro produz, em média, pouco mais de 1 kg de resíduo sólido por dia e mais de 60% do total é descartado de maneira inadequada, principalmente em lixões ou lugares quaisquer, lotes vagos, por exemplo.

O resultado desse descarte é a contaminação do solo e de cursos de água, por substâncias químicas.

Além disso, quando o material é descartado ao ar livre, o processo de decomposição gera produtos poluentes, como o chorume — subproduto da putrefação de matérias orgânicas, composto por metais pesados e altamente prejudicial para seres vivos —, e o gás metano — substância explosiva e tóxica, vetor para o desequilíbrio do efeito estufa.

A matéria orgânica particulada e descartada em forma de resíduos triturados diminui drasticamente a quantidade de lixo recolhido na residência ou no estabelecimento.

Com isso, o lixo considerado “molhado” tem um destarte menos agressivo para o meio ambiente, além de poder ser separado. O material que chega nas estações de esgoto pode ser aproveitado para gerar adubo e energia, pensando no aproveitamento do gás liberado na decomposição.

2. O lixo seco separado e reciclado

A separação do lixo molhado (matérias orgânicas, restos de comida, por exemplo) e do lixo seco (materiais não orgânicos como plásticos, metais e vidro) permite a reciclagem muito mais eficiente dos materiais sólidos, bem como a diminuição do uso de recursos plásticos em sacolas e recipientes plásticos para o descarte do lixo.

A diminuição do lixo a ser coletado facilita a promoção de melhores estratégias de recolhimento de lixo e de coleta seletiva por parte dos municípios. Incentivando, também, políticas de redução do consumo e melhor aproveitamento dos recursos naturais.

3. Baixo gasto de recursos naturais — água e energia elétrica

Também é um mito que o equipamento triturador consome muita água e energia elétrica.

Em primeiro lugar, a água corrente necessária para o funcionamento do dispositivo não precisa ser limpa ou diretamente da torneira.

O recomendável, inclusive, é que essa água seja de reúso, isto é, recurso já utilizado para algum fim, como lavagem de roupas, lavagem das próprias louças e utensílios de cozinha ou qualquer outro uso, que possa ser recolhida e despejada na pia no momento da trituração.

Em segundo lugar, o gasto energético é muito baixo, considerando a baixa potência e o tamanho do aparelho, além de ele ser facilmente ligado e desligado conforme a necessidade.

É preciso salientar, também, que o tempo de uso desse equipamento é muito curto, em média, 5 minutos por dia, acarretando em um aumento de, no máximo, R$5 na conta de energia.

4. Residências e estabelecimentos mais higiênicos

A quantidade de lixo produzido pela população é muito maior do que os governos e do que o meio ambiente conseguem decompor ou aproveitar, por isso o assunto rende muitas discussões e se tornou um problema de ordem pública. O acúmulo de lixo orgânico dentro e fora da propriedade também pode manifestar uma série de problemas de saúde.

Além dos lixões já serem problemas com impacto socioeconômicos e ambientais enormes, o descarte de resíduos sólidos no meio da rua ainda gera problemas como a proliferação de doenças bacterianas, doenças com hospedeiros animais, propagação de animais e insetos (baratas, ratos e moscas, por exemplo).

Dentro da propriedade, o lixo aglomerado resulta em mau cheiro, com o início da decomposição, sujeira e, também, atrai insetos e animais.

Com os trituradores, é possível reduzir mais de 50% do lixo que é descartado da residência. Grande parte do que será descartado é composta de resíduos secos e recicláveis, garantindo cozinhas limpas, organizadas e mais higiênicas.

5. Resultado para as tubulações

Alguns atribuem ao material orgânico triturado à obstrução de encanamentos, mal-escoamento de galerias fluviais e vazamentos. Isso é outro mito.

As partículas de matéria são minúsculas e a quantidade descartada composta em grande parte de água não consegue obstruir canos. Nem mesmo os fragmentos com restos de gordura. Considerando a força do sistema, a pressão gerada pelo triturador também facilita o escoamento da matéria e da água.

E aí? Percebeu como os trituradores de alimentos podem ser benéficos para o meio ambiente? Curta nossa página no Facebook para ficar ligado em outros conteúdos como este e conhecer mais sobre os nossos produtos!

 

Sobre o autor

Tritury

Deixar comentário.

Share This